Não ao ‘juridiquês’ integra planos de ações do TRE-AC para as Eleições 2022

Presidente da Corte entende que a linguagem acessível é o melhor caminho para levar a informação à totalidade do público a quem se destina

TRE AC JUNHO 2021 ELEICOES 2022

Dando continuidade ao planejamento para as Eleições 2022, no âmbito do Tribunal Regional do Acre (TRE-AC), a presidente da Corte Eleitoral acreana, desembargadora Denise Bonfim, reiterou a importância e a necessidade do uso de uma linguagem fácil e acessível, em todos os níveis, referindo-se aos planos de ações para o pleito, no sentido de melhor alcançar todo o público a quem a informação é destinada.

De acordo com a desembargadora-presidente, a medida amplia o relacionamento da Justiça Eleitoral com a sociedade, sobretudo quando trata de ações da instituição, cujo objeto é de total interesse do eleitor e da eleitora, “abolindo-se, de vez, o uso do ‘juridiquês’ na comunicação interna e externa deste Regional”.

No mesmo sentido, manifesta-se o vice-presidente e corregedor do TRE-AC, desembargador Luis Camolez, que aponta como “essencial a medida adotada pela desembargadora-presidente Denise Bonfim referente à forma de comunicação, no âmbito da Justiça Eleitoral acreana, desde o início de sua gestão, em agosto de 2019”.  

Para o desembargador, além de facilitar a aproximação do cidadão e da cidadã com o Poder Judiciário, “a comunicação direta e objetiva se apresenta como uma das armas eficazes de combate à desinformação, muitas vezes camuflada por uma linguagem técnica, que, para a maioria da população, apresenta-se desconhecida”, explicou.     

‘Juridiquês’

Plataformas especializadas definem ‘juridiquês’ como o uso desnecessário e excessivo de termos técnicos da área do Direito.

Últimas notícias postadas

Recentes